Para jogadores Para mestres RPG

Porque o combate do seu RPG de mesa é chato

Se você começou a ler este texto é provavelmente porque você está entediado durante os combates da sua mesa de RPG. Seja você o jogador ou o Mestre, talvez você esteja cansado de ficar esperando 10 minutos até seu turno chegar de novo.

E, tudo isso para… nada. Para lutas chatas, sem sentido e com final garantido de vitória ou de derrota.

Mas, calma! Para todo problema existe uma solução. E hoje eu vou te contar algo que eu não vi quase nenhum conteúdo na internet falando sobre: a parte mais importante de um bom combate no RPG de mesa, a antecipação.

Porque a cena do Balrog é tão épica?

Para mim, uma das cenas mais épicas de “luta” é a do senhor dos anéis: a sociedade do anel, quando o Gandalf encontra o Balrog. E eu acho esta cena extremamente épica por alguns motivos.

Primeiramente, não há uma luta de fato. O Balrog é um oponente praticamente imbatível. Nem Gandalf que é um dos personagens mais fortes da Terra Média optou por enfrentá-lo. Além de, claro, estar com medo de encontrá-lo.

Arte sensaciocrível de Anato Finnstark pra representar minha cena preferida

Em segundo lugar, durante a luta nós somos recheados de informações profundas sobre a origem de Gandalf e do Balrog em si. Nós, como expectadores, descobrimos que aquela é uma criatura ancestral e que Gandalf é basicamente o guardião do mundo contra aquele tipo de criatura – ÉPICO.

Por fim, e mais importante, a antecipação ao combate. Desde antes de entrar em Mória, Gandalf já mostra que estava preocupado. Inicialmente, acreditamos que a preocupação era por encontrar o reino anão morto. Mas, posteriormente, nos é apresentado todo o mistério e tensão ao redor do Balrog. Isso, sim, é o que realmente torna a cena épica. A antecipação.

O que é antecipação?

Antecipação é quando você adianta a ocorrência de algum evento. Ou seja, algo que era para acontecer em horas, dias ou meses, acontece – ou começa a acontecer – muito antes. No caso de histórias, é quando os personagens descobrem algo antecipadamente e se preparam para algum evento.

Assim, ao saber de uma ameaça ou oportunidade de antemão, você começa a estudá-la e a ter cautela para que, quando o evento de fato chegar, você esteja preparado. Portanto, a antecipação é, de forma resumida, a preparação para algum evento.

E, como seres humanos, sabemos que toda preparação é recheada de expectativas. Quando estamos nos preparando para algo é porque pensamos e criamos em nossa mente como será o determinado evento. E esta é a parte mais importante da antecipação nas histórias: a expectativa.

Quer um exemplo? Imagina se a cena do Balrog x Gandalf, ao invés de ter toda a antecipação, fosse repentina. Imagine a sociedade do anel saindo de Mória tranquilos e de repente aparecesse um demônio cuspindo fogo. Seria diferente, não?

E, se os combates da sua mesa de RPG estão parecidos com essa sensação de “repentinamente”, então você já sabe o que precisa fazer: criar antecipação.

Os 3 passos para criar antecipação no seu RPG de mesa

Se você quer que seus jogadores criem expectativas ao que irão enfrentar, então você, como Mestre, precisa se preparar. Isto é, você precisa dominar o que é o oponente deles e, assim, apresentá-lo da forma certa.

Para isso, basta você seguir 4 passos:

Criar o vilão

Primeiramente, claro, crie o vilão! Pense em quem os jogadores irão enfrentar e analise quais são as forças, fraquezas, poderes e razões por trás das ações dele. Quanto mais você caprichar neste passo, mais fácil serão os próximos.

Mostrar as consequências da ação do vilão

Em segundo lugar, avance no tempo. Faça com que o vilão já esteja agindo há algum tempo. Assim, os personagens chegam em um determinado local, ou recebem determinada notícia, já sabendo os efeitos da presença deste vilão – embora eles ainda nem saibam quem ele é.

Ao realizar este processo, você começa a criar as expectativas de que eles estão enfrentando algo que precisa ser derrotado. Ou seja, aqui você deu um motivo aos jogadores.

Dar pistas de quem é o vilão

Em terceiro lugar, distribuir as pistas. De acordo com as ações do vilão, onde pode haver pistas? Quais pistas são essas? Como elas podem ser descobertas?

Distribua este mistério pelo mundo ao redor de onde o vilão agiu e deixe a mente de seus jogadores trabalhar. Desta forma, você os verá analisando e fazendo estratagemas para entender e descobrir o que eles estão prestes a enfrentar.

Aqui você deu aos seus jogadores expectativas.

A descoberta e a preparação

Enfim, a descoberta em si. Os personagens enfim entendem quem eles irão enfrentar e o que precisam fazer para derrotá-lo.

A partir deste momento começa uma sequência de estudos, análises e preparos para enfrentar o vilão da forma certa. Forma esta que, dependendo da força do oponente, pode envolver os personagens demandando reforços.

E, claro, se eles simplesmente agirem contra o vilão diretamente, as chances de morte são extremamente altas.

Não sei nem por onde começar

É, eu sei, pode parecer muita informação.

Mas, para a sua sorte, nós temos um vídeo explicando melhor como realizar cada passo deste processo no seu RPG de mesa!

Lá, além de aprofundar na teoria que falamos deste texto, você também verá um exemplo prático de como fazer isso com uma criatura muito adorada pela comunidade.

Só clicar aqui embaixo e assistir o vídeo. Aproveite!